Hoje, negócios de todos os tipos e tamanhos dependem e são impactados pela performance do seu setor de TI, inclusive os resultados financeiros das organizações podem ser influenciados por ela. É inegável que a tecnologia da informação está fortemente presente em processos internos e externos, independentemente da forma de operação da empresa. Sendo assim, uma boa gestão de TI é fundamental.  

Ela serve para, entre outras coisas, conferir valor a um negócio por meio do uso da tecnologia, sendo um conjunto de ações e metodologias que promovem o alinhamento da TI com a estratégia organizacional. Por isso, é essencial que essa gestão seja eficiente e que ela atue proativamente para a prevenção de problemasevitando lentidão na entrega de serviços e de sistemas, trabalhando na solução de incidentes, sem perder de vista, claro, a redução de custos operacionais e a segurança da informação. 

 Com as inúmeras possibilidades trazidas pelos avanços tecnológicos para área de TInovos desafios surgem na rotina dos CIOsEnumeramos cinco deles que merecem atenção especial, pois demandam mudanças culturais e de visão de negócio: 

 

1. Gestão de TI com planejamento rígido

Muitos gestores de TI ainda acreditam na eficiência do modelo tradicional de planejamento. Mas, se o objetivo é manter a governança de TI alinhada com as mudanças trazidas pela transformação digital e com a evolução tecnológica, é muito importante que essa crença seja revista, tanto no que diz respeito à dinâmica do trabalho das pessoas quanto no que tange a forma como os projetos são planejados. Isso porque, em um mundo que vivencia a dinamicidade e a instantaneidade, nossa habilidade de prever e definir posições estratégicas está menor e, também por conta disso, o planejamento estratégico rígido de longo prazo está perdendo espaço. Estruturas que não privilegiam a flexibilidade não dão conta de acompanhar a complexidade do momento atual.  

Para que a gestão de TI dê conta dessa transformação, é preciso que a organização capacite sua equipe para pensar e agir de forma inovadora, o que envolve, em muitos casos, uma mudança cultural. Além disso, um dos caminhos a serem seguidos é a substituição do planejamento rígido por processos que contemplem mudanças constantes, experimentação e aprendizado. 

 

2. CIOs muito focados em certificações, mas com poucos conhecimentos contábeis 

Muitos CIOs se preocupam apenas em exibir as certificações que realizou em sua área de expertise. Mas esta é outra lógica que precisa ser repensada se o foco é a diminuição de problemas. Um gestor de TI eficiente precisa ter a capacidade de manter uma contabilidade sobre todos os processos que envolvem a sua atividade. Para isso, nada melhor do que um treinamento básico em contabilidade e, também, em cálculo de custos. Sem esse conhecimento é muito mais difícil a construção de uma visão estratégica completa sobre as soluções e sobre os projetos da organização. 

 

3. Dificuldade de diálogo com outras áreas da organização

É comum que o criador de um projeto ou iniciativa na área de TI não consiga transmitir a sua ideia de forma clara para os profissionais de outras áreas da empresa. Isso acaba gerando ruídos na comunicação que podem, futuramente, se transformar em problemas para o setor. Por isso, é fundamental a presença de um analista de negócios e um gerente de projetos que façam a mediação para que as equipes entendam o que precisa ser feito, sem que se percam os detalhes da ideia inicial. 

 

 4. Espera por dados perfeitos

Muitos CIOs perdem muito tempo ao optarem por só darem prosseguimento à implementação de projetos após se certificarem de já terem analisado os dados precisos, temendo que os dados imprecisos causem resultados negativos ou imprevisíveis. Isso pode acarretar problemas de produtividade. Entretanto, deixar que os dados sejam depurados ao longo do processo também pode ser uma boa alternativa. Em muitos casos, informações com grande probabilidade de serem corretas podem se transformar, em um curto espaço de tempo, em dados confiáveis. 

 

5. Falta de escopo e metas bem definidas

Embora o exercício de planejar, hoje, tenha que ser algo vivo e dinâmico, capaz de se adaptar às mudanças de cenário e de contexto, é muito importante que fique claro para toda a equipe de TI qual é o seu escopo de atuação. Além disso, é fundamental que todos estejam cientes do caminho que estão percorrendo de quais são os objetivos a serem alcançados. Nesse sentido, a atuação estratégica do gestor, desde a montagem da equipe, é indispensável para o engajamento e alinhamento de todos. 

 

Como é facilmente observável, todos os desafios acima mencionados perpassam a atividade do gestor de TI, personagem estratégico dentro das organizações contemporâneas. Quer saber um pouco mais sobre esse profissional? Então leia o nosso artigo sobre a importância estratégica do CIO para os negócios. 

 

Autor

Saulo Costa
Saulo Costa
Possui 9 anos de experiência em telecomunicações e infraestrutura de TI. Atua na elaboração de projetos para organizações governamentais e privadas. Possui as certificações profissionais CCNA R&S + Avaya ACSS + MCP + ITIL.